Diabetes e Nutrição

Tenho recebido algumas solicitações para colocar aqui no blog um pouco da minha alimentação e cuidados durante a gravidez, então vamos lá, vou colocar um pouco do meu dia-a-dia e abaixo uma reportagem que encontrei sobre o assunto.

No primeiro trimestre da gravidez, manter o controle glicêmico foi mais fácil, visto que minha alimentação já era bem regrada e com produtos integrais na maior parte das vezes. Evitei e ainda evito produtos com sacarina, aspartame ou qualquer outro adoçante, visto que não faz muito bem para o bebê, e é mais saudável tomarmos sucos, chás etc, mais naturais. Cortei café, chimarrão e qualquer bebida estimulante.

Confesso que em muitos momentos, a vontade de comer mais é grande, mas tenho me controlado para evitar exageros.  No café da manhã como uma fatia de pão integral com creme de ricota ou uma fatia de mussarela, uma xícara de chá ( hortelã, cidreira) e uma banana. Quando a glicemia permite, tomo um copo de suco de laranja ( que no meu caso não aumenta muito a glicemia), mas aí não como a banana.

No meio da manhã: uma fruta e um iogurte.

Almoço: sempre no mesmo horário: 12:15 ( é quando aplico a Lantus 16 unidades por enquanto). Sempre equilibro carboidrato, proteína, verduras e legumes, então: feijão e arroz, legumes assados, saladas e um pedaço de carne. Meu prato preferido é purê de batatas, legumes, salada e um pedaço de carne. 🙂 Nos últimos dias, tem sido bem difícil manter a glicemia pós prandial no nível ideal ( 140 mg/dl 1 hora após a refeição), mas tenho tentado acertar com a novorapid…semana que vem vou na endócrino.

Lanche: a mesma coisa do café da manhã ( no final de semana abuso um pouco, mas injeto mais insulina de ação rápida)

Jantar : repito o almoço.

Tenho feito hidroginástica duas vezes na semana e quando consigo caminho mais duas vezes na semana.

Não é fácil manter a glicemia controlada neste segundo trimestre da gravidez e isso me assusta, mas confio que em breve consigo acertar esta pós prandial, que é a única que ainda não se “comporta”, rsrs.

Agora, a reportagem que encontrei, espero que ajude! 🙂

Alimentação da Gestante Diabética


13/11/2008 – Portal Diabetes

A gestação determina uma série de transformações na mulher, essas alterações que são de natureza anatômicas e fisiológicas afetam quase todas as funções maternas e são necessárias para o controle do metabolismo materno, a promoção do desenvolvimento fetal, a preparação para o momento do parto, nascimento e lactação.

A necessidade contínua e crescente do feto por glicose (proveniente do metabolismo dos carboidratos e seu principal combustível) determina que o organismo materno desenvolva certos mecanismos que favoreçam esse fornecimento como o aumento da resistência periférica à insulina (hormônio fabricado pelo pâncreas e responsável pela entrada da glicose nas células), em outras palavras: a mãe passa a ter maior dificuldade em utilizar a glicose pois a prioridade é do feto e os tecidos maternos ficam menos sensíveis à insulina e precisam de muito mais insulina que anteriormente à gravidez.

A partir do segundo trimestre da gravidez, a necessidade de insulina aumenta, fato esse perfeitamente contornável em gestantes não diabéticas com o aumento da secreção pancreática de insulina, ao passo que nas gestantes diabéticas esse mecanismo está alterado e determina a hiperglicemia (aumento da glicose no sangue).

O tipo de diabetes mais comum nas gestantes é o chamado diabetes gestacional (90% dos casos), o restante são aquelas  que já apresentavam diabetes anteriormente à gestação (10% dos casos) como as diabéticas do  Tipo 1 ou insulino dependentes ou as do Tipo 2.

A hiperglicemia no momento da concepção até as primeiras semanas de gestação é vista como risco à malformações congênitas e abortos e na fase final da gestação é associada a riscos de prematuridade, mortalidade fetal e neonatal.

CONTROLE

O controle rígido dos níveis sanguíneos de glicose é essencial para o sucesso da gravidez e deve ser feito através de uma dieta equilibrada e atividade física. As gestantes com diabetes pré-existentes e uma parcela das diabéticas gestacionais também necessitam de tratamento com insulina (insulinoterapia). Os valores considerados ideais são: glicemia de jejum abaixo de 100 mg/dl e pós-prandial (pós refeição)  abaixo de 130 mg/dl .

O PLANO ALIMENTAR DA GESTANTE DIABÉTICA

A dieta da gestante diabética deve ser capaz de satisfazer as necessidades nutricionais durante a gestação, permitir um ganho de peso adequado e proporcionar o controle dos níveis da glicose sanguínea.

As necessidades nutricionais da gestação variam de acordo com a idade, estatura, peso pré-gestacional e atual, idade gestacional e atividade física.

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DA GESTANTE

O indicador mais utilizado é o índice da massa corporal (IMC)
IMC = peso pré-gestacional (kg)
altura 2 (m)

Avaliação antropométrica da gestante pelo IMC (fonte:Instituto de Medicina dos EUA, 1992)

IMC (kg/m2) pré-gestacio-
Nal
Ganho de peso ideal (kg) Ganho de peso semanal
(g/semana) a partir do 2º
trimestre
<19,8 (baixo peso) 12,5 a 18 500g
19,8 a 26 (peso normal) 11,5 a 16 400g
26,1 a 29 (sobrepeso) 7,0 a 11,5 300g
>29 (obesidade) 7,0 a 9,1 200g

A avaliação dietética deve ser feita de forma detalhada verificando o número e a composição das de refeições,grupos de alimentos presentes, tabus e intolerâncias alimentares.

RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS
O consumo energético deve ser o suficiente para se manter um ganho ponderal de peso desejável durante a gravidez e satisfazer o apetite: em média 300 calorias a mais a partir do segundo trimestre. As gestantes diabéticas obesas devem consumir o mínimo de 1800 calorias por dia para que não existam efeitos adversos à mãe ao feto.
As recomendações das proteínas, gorduras, vitaminas e minerais são iguais às das gestantes não diabéticas.
As refeições devem ser bem fracionadas de 5 a seis por dia (desjejum, colação, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia) em horários estabelecidos de acordo com a insulinoterapia, para que não haja o risco de  hipoglicemia (níveis muito baixos de glicose no sangue).

Os alimentos provenientes dos carboidratos devem ser prioritariamente de natureza complexa e de preferência integrais (como o arroz integral, milho, aveia, feijão, lentilha, pães integrais) e isentos de açúcares simples (açúcar, mel e doces em geral ).

Os alimentos gordurosos devem ser evitados, tais como carnes gordas, embutidos, laticínios integrais, gordura de coco, molhos e cremes gordurosos. Os óleos vegetais devem ser provenientes da soja, girassol, milho, oliva ou canola e as margarinas do tipo light.
As carnes devem ser do tipo magras e podem ser cozidas, assadas , grelhadas ou refogadas com o mínimo possível de óleo.
Incluir diariamente no cardápio hortaliças de folhas verde escuras e frutas cítricas.

Adoçantes
O açúcar deve ser substituído por adoçantes e produtos dietéticos  à base de aspartame, sacarina, acessulfame-k e sucralose em quantidades moderadas.
Os produtos industrializados devem ser controlados através da leitura dos rótulos para que se saiba a composição, os produtos que contém glicose, dextrose, sacarose e frutose não devem ser consumidos.

SAL
Deve ser utilizado moderadamente no entanto, excluindo-se  alimentos com excesso de sódio: temperos prontos, embutidos, carnes conservadas em sal, salgadinhos, etc

EXEMPLO DE CARDÁPIO PARA GESTANTE DIABÉTICA DE 1800 CALORIAS

REFEIÇÃO ALIMENTO QUANTIDADE
Desjejum Leite desnatado com café
Pão integral com margari-
na light
laranja
1 xícara de chá
2 fatias

1 unidade média

Colação Mamão papaia ½ unidade
Almoço Arroz integral
Feijão
Carne assada
Cenoura refogada
Salada de alface
Gelatina dietética
4 colheres de sopa rasas
4 colheres de sopa rasas
1 porção média
1 unidade média
1 porção média
1 taça pequena
Lanche da tarde Iogurte natural desnatado
Aveia
Banana
1 pote
2 colheres de sopa
1 unidade média
Jantar Macarrão integral com
molho de tomates
Filé de frango grelhado
Salada mista de folhas
Melão
6 colheres de sopa
1 porção média
1 porção média
1 porção média
1 fatia média
Ceia Leite desnatado com cho-
colate dietético
Bolacha integral salgada
Mexerica
1 copo americano

4 unidades
1 unidade média

Anúncios

3 pensamentos sobre “Diabetes e Nutrição

  1. AI muito obrigado ….
    Olha nao muda muito da minha alimentacao nao sabia …ainda bem … me preocupo porque quando engravidar quero fazer tudo certinho e tenho que comecar desde de ja ,antes estava tomando muito cafe … ai agora tomo so uma xic por dia o Refri tb dei uma boa maneirada …se tenho sede tomo AGUA e pronto ! E tinha muita curiosidade pra saber se mudava muito a alimentacao …mais vi que nao e do emso jeito comendo certinho e saudavel ne!Evitando o que a gente ja evita sempre !Antes eu tinha essa de relaxar no final de semana …agora to me policiando … fazendo as refeicoes principais na hora certa … muitas vezes atrasei minhas refeicoes no final de semana tendo claro hipos severas …coisa que uma gestante tem que evitar ao maximo ne!!!
    Vc ta tao linda gravida ..muitas felicidades pra vcs !!!!
    bjim

  2. Tbm adorei o post, nós diabéticas que queremos engravidar temos muitas dúvidas, e esses depoimentos do dia-a-dia nos ajudam a ver mais ou menos como a coisa funciona! Bjoo

  3. Estava procurando esclarecer uma dúvida, quando encontrei o seu Blog. Tenho 2 filhos diabéticos e a cada dia a gente tem que aprender mais e mais.

    Parabéns pelo Blog e saúde e sucesso pra vcs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s